Dicas de como Economizar Dinheiro

Entenda o valor do salário que você recebe. Planeje seus gastos para que, ao final do mês, você fique no azul.

Dicas de como Economizar Dinheiro. (As imagens exibidas no Portal da Globo.com são fornecidas e pertencem a terceiros)

Todo fim de mês é aquele sufoco, não é mesmo? Quando o dia 30 se aproxima, você já começa a sentir calafrios. E fica imaginando uma solução para a falta de dinheiro.

O mês acaba e as dívidas continuam. Afinal, são dezenas de situações em que precisamos ‘apertar’ o orçamento para que sobrem alguns Reais na carteira, nos últimos dias do mês.

Mas, calma! Estes acontecimentos não são de exclusividade sua. Atravessamos um momento instável na Economia, sofremos com a falta de emprego, com a alta inflação e o crescente (e alarmante) índice de desemprego.

Seja nos preços das mensalidades escolares, nas compras de supermercados, remédios, contas de luz, água, celular e internet.

De uma forma ou outra, devemos estar sempre preparados para imprevistos, como os juros, internações hospitalares inesperadas, etc.

Como podemos ter um melhor controle entre o dinheiro que ‘entra’ e o que ‘sai’ de nossos bolsos e contas bancárias?

Vamos conhecer agora, algumas maneiras de economizar dinheiro, de poupá-lo, distribuí-lo da melhor forma entre os compromissos profissionais e pessoais.

Início

Tudo começa, sem dúvida, com uma boa organização da renda. Basicamente falando, entenda o valor dos rendimentos que entram em suas contas.

Tenha consciência do que este montante representa para você e sua família, estudos e planos futuros.

Primeiros Passos

Planilha de Gastos

Agora que você já sabe o quanto recebe por mês, é hora de entender o valor, o peso que cada gasto representa em sua vida e seus dias.

Monte uma tabela com estes gastos principais (os de maior importância), e na sequência os gastos secundários (de grande importância, mas que podem ser resolvidos em um espaço maior de tempo).

Há ainda os gastos terciários, que é o orçamento elaborado para utilização de uma parte do lucro ao final do mês.

São atividades e compromissos que não tem a importância como as duas classes superiores, mas que devem ser realizados assim que uma ‘folga’ no orçamento for detectada.

Metas

Quais são os métodos mais utilizados por você, na hora de efetuar suas compras e pagamentos? Cartão de débito? Crédito? Cheques? Dinheiro?

É importante estabelecer uma ordem, priorizar uma forma de pagamento e mantê-la atuante em seus dias.

Ao final do dia, faça um balanço do que gastou com todos os seus compromissos, coloque tudo na planilha, não esquecendo nunca de separá-los entre primários, secundários e terciários.

Consulte o valor estabelecido para cada dia, em planejamento no início do mês, e calcule o saldo deste dia.

Confira o quanto ainda pode gastar, ou o que deverá ‘cortar’ de seus pagamentos no dia seguinte.

Objetivos

Procure liquidar suas faturas assim que recebê-las ou, no máximo, até a data limite para pagamento. Boletos como aluguel, condomínio, água e luz, são prioridade.

Em alguns casos, as empresas estipulam datas distantes de quando você costuma receber seu salário.

Tente ao máximo aproximá-las, assim você dará um excelente passo em sua organização. O dinheiro que eventualmente sobrar, será dividido entre suas obrigações secundárias e estilo de vida.

Comprovantes

Uma excelente forma de calcular os gastos ao final de cada dia.

Sempre que possível, peça (não só a nota fiscal, mas) o ‘canhoto’ de suas compras, para conferência mais tarde quando chegar em casa.

Seja com cartões ou dinheiro, todos os gastos devem ser catalogados.

Cartão de Crédito: Amigo ou Vilão?

Comodidade que pode custar caro. É assim que os principais economistas costumam definir o uso dos cartões de crédito.

É uma ‘falsa sensação’ de que sua renda é maior. Portanto cuidado, principalmente, ao parcelas suas compras em dezenas de prestações.

Não esqueça de incluir o valor total em sua planilha, bem como os valores mensais no planejamento que se encerra dia 30 ou 31.

Amigo

Você obtém pontos de vantagens em clubes de compras, milhas para viagens em companhias aéreas, faz pagamentos em parcelas de lojas, hipermercados e sites que, muitas vezes, não cobram juros até a 12ª prestação.

A compra no crédito, te ‘livra’ por alguns dias de uma dívida que você não tem condições de assumir naquele momento. Você tem a oportunidade de se programar para realizar este pagamento.

Procure sempre utilizar o mínimo possível de seu limite de crédito. Classifique este uso como de ‘caráter emergencial’.

Desta forma não haverá problemas quando a ‘temida’ fatura chegar. Prefira os cartões sem taxas de anuidade. Planeje a data de suas compras para o início de cada mês.

Em geral, sua agência bancária estipula uma data de fechamento da fatura, e caso você compre algo, será debitado somente na próxima cobrança mensal. Ou seja, você terá um espaço maior de tempo até ‘cobrir’ estes gastos.

Vilão

Sem dúvida alguma, os juros são os responsáveis pelo endividamento de, ao menos, 70% da população brasileira que trabalha com cartões de débito ou crédito.

Isso geralmente acontece quando você opta por pagar o valor mínimo do boleto. Ainda que dentro do prazo de vencimento, o pagamento acarretará uma taxa severa de juros para o próximo mês.

Cuidado com o uso em compras virtuais, aplicativos ou sites internacionais. Há risco de seu cartão ser clonado.

Aplicativos de Economia

Há inúmeros. Permitem gerenciar e movimentar suas contas e gastos bancários.

Informações de planejamento, tabelas, gráficos, calculadoras e conversores de moedas, índices de economia e muitas outras ferramentas para que você controle de forma eficaz suas finanças.

Versões disponíveis para desktop (computadores) e celulares. Cada aplicativo tem sua virtude. Alguns aceitam o envio de fotos e comprovantes de compras, para que você mantenha o planejamento atualizado.

Outros possuem sistemas de cores, que alertam o usuário quando os vencimentos estão próximos.

Simplicidade

  • Empreste em vez de comprar: se você não utiliza algo com frequência, não faça gastos desnecessários.
  • Roupas de Marcas, nem pensar: compre peças mais básicas em lojas de liquidação. Seu bolso agradece, e você anda na Moda.
  • Compre produtos do exterior: preços e taxas são menores, e a qualidade maior.
  • Milhas aéreas: atenção para o prazo de troca. Você pode ficar sem os descontos nas passagens.
  • Conserte: pesquise preços e mão-de-obra. Se for mais econômico, não compre. Conserte!
  • Passeios: caminhadas, parques, praias e filmes. Programas que não gastam, além de serem perfeitos para os fins de semana.
  • Promoções: use e abuse de cupons de desconto em aplicativos como iFood, Uber e 99Taxis.

Mas cuidado! Muitas promoções são válidas apenas para compras com cartões de crédito. Lembre do orçamento!

você pode gostar também Mais do autor

Comentários estão fechados.

error: todos os direitos reservados!!